Terça, 27 de Outubro de 2020 06:06
066 99679-8308
Economia Linha de Crédito

Empresários têm dificuldade de acessar linhas de crédito

Levantamento do Sebrae MT revela que apenas 7,52% dos que buscaram recursos em instituições financeiras conseguiram

10/07/2020 04h57
Por: Redação Fonte: Rita Comini | Assessoria
Empresários têm dificuldade de acessar linhas de crédito

Pesquisa Acesso à Crédito pelos Pequenos Negócios em Mato Grosso, feita pelo Núcleo de Inteligência de Mercado, da Gerência de Inteligência Estratégica do Sebrae/MT, aponta as principais dificuldades dos empresários em acessar as linhas de crédito dos pequenos negócios durante a crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19.

Entre os 412 respondentes 35,68% já haviam buscado empréstimo/financiamento, porém, apenas 7,52% haviam conseguido acessar algum recurso. Outros 10,68% tinham tomado a iniciativa, mas estavam aguardando alguma aprovação da fonte ou instituição financeira demandada; e 17,48% simplesmente não haviam conseguido acessar o recurso.

Esse é o caso do empresário do setor de turismo Mauris Albert, 45, proprietário da MRR Transportes, com sede em Várzea Grande. Ele buscou a linha de crédito da Caixa Econômica Federal especial para Microempreendedor Individual (MEI) no valo máximo de R$ 12.500, e não conseguiu. Segundo ele, a instituição bancária alegou que o score da empresa estava muito baixo, embora o restante da documentação não apresentasse problemas.

Ele conta que usaria o dinheiro para quitar o veículo executivo usado para transportar turistas e assim ficar mais tranquilo quando a pandemia acabar. Mauris teme que o pós-pandemia seja ainda pior para a economia.

Como o setor de turismo foi drasticamente afetado, ele está praticamente sem renda, faz um “bico” na empresa de contabilidade em que sua filha trabalha, recolhendo malotes nas empresas três vezes por semana.

Entre os que entraram com pedido e estão aguardando uma posição está a empresária Sandra de Jesus Zanelatto, 38. Ela tem uma loja de moda feminina em Sinop, a La Mandy Maria Raquel. Há mais de 2 meses entrou com o pedido na Caixa para a linha de crédito Pronampe. Ela revela que o faturamento de sua loja caiu 70% e precisa do dinheiro para capital de giro. Mesmo com a demora, diz que não desistiu. “Não podemos nos dar ao luxo”, diz.

Na visão do analista técnico do Sebrae MT, Fabio Apolinário, da gerência de Conexões Institucionais, o sistema financeiro brasileiro está todo baseado em sistemas de análise de crédito que nem sempre refletem a realidade dos pequenos negócios. “Embora o governo tenha flexibilizado pontos ligados à exigência de certidões de débitos fiscais, o excesso de burocracia, os elevados níveis de endividamento das empresas ou mesmo as restrições cadastrais têm sido os principais entraves para que consigam crédito neste momento”, analisa.

Segundo ele, a situação mostra a fragilidade do país na política de fomento. “Se as políticas públicas não tratarem a situação como ela realmente é, emergencial, corremos o risco de ter muitos negócios fechando por total falta de liquidez”, constata.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.