Terça, 04 de Agosto de 2020 06:54
066 99679-8308
Política Rodovia Pedagiada

Bancada pressiona por duplicação e concessão da BR-163 pode ser cancelada

A concessão da rodovia foi feita à Odebrecht ainda no Governo Dilma Rousseff , em 2014, e até hoje o trecho em que circulam milhares de carretas ao dia não tem duplicação, o que torna a via um verdadeiro corredor da morte.

22/07/2020 20h58
Por: Redação Fonte: Márcia Matos | Conexão Poder
Bancada pressiona por duplicação e concessão da BR-163 pode ser cancelada

Líder da bancada federal de Mato Grosso, o deputado Neri Geller (PP), que é ex-ministro da Agricultura e Pecuária, afirmou ao Conexão Poder que o Estado está prestes a ter uma solução para o trecho de cerca de 260 km da BR-163 entre o Posto Gil, em Diamantino, até Sinop, onde é cobrado pedágio, mas não tem duplicação.

A concessão da rodovia foi feita à Odebrecht ainda no Governo Dilma Rousseff , em 2014, e até hoje o trecho em que circulam milhares de carretas ao dia não tem duplicação, o que torna a via um verdadeiro corredor da morte.

Era previsto que 90% da rodovia fosse duplicada, até 2019, no entanto, apenas 26% passou pela duplicação. 

Uma das saídas pode ser o rompimento do contrato com a Odebrecht e a realização de nova licitação.

“Queremos uma solução para o problema. O Ministério dos Transportes precisa definir pela retomada das obras. Não queremos ficar pagando pedágio sem duplicação. Se pra isso é melhor o contrato de cura; parece que tem uma proposta da Rota do Oeste (administradora da rodovia); contrato de cura com retomada das  obras e a mudança no controle acionário, a cada cidade, ou a rescisão amigável. Está muito próximo agora de sair uma coisa ou outra. Nossa pressão é em cima dessa solução”, declarou.

A estimativa de solução segundo o deputado, é de até três meses.

No contrato de cura a empresa retoma as obras  e ganha mais tempo para concluir a duplicação, mantendo a concessão.

 A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acusa a concessionária de descumprir o contrato e analisa o documento técnico que revela como a concessionária pretende retomar as obras de duplicação e melhorias na rodovia. O plano de cura incluirá um novo parceiro que dará aporte para a retomada das obras. Agora está a cargo da ANTT avaliar a viabilidade do plano de cura ou se será necessária uma nova licitação. O Ministério  Público também deve participar da ação.

No início de julho o governador Mauro Mendes (DEM) esteve com o ministro dos Transportes , Tarcísio de Freitas que garantiu a retomada das obras de duplicação.

O ministro apresentou ao governador o planejamento que o Ministério tem para os próximos meses. A cobrança agora tem sido feita pela bancada federal de deputados e senadores.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.